kkkkk

Dicas para Recreadores

Todos sabemos o quanto é importante a recreação na vida das crianças

Esta promove seu desenvolvimento físico, emocional e também social através de jogos e brincadeiras. Mais importante ainda é ter alguém orientando e estimulando estas atividades de forma prazerosa e lúdica, fazendo não apenas com que se divirtam mas que de algum modo aprendam e sejam educadas para outros objetivos sendo trabalhados de forma implícita em cada uma das atividades. Isto também acontece para jovens e adultos, onde as atividades podem ser adaptadas, alterando-se a complexidade de regras, o tempo de duração e o espaço utilizado.

Para conseguir isso, uma das habilidades essenciais a estes profissionais é o conhecimento das características e do comportamento das diferentes faixas etárias das pessoas para que, a partir delas, possam desenvolver ou adaptar as atividades lúdicas com o objetivo de estimular a prática recreativa.

Vale ressaltar que existem atividades específicas para cada faixa etária, assim como, existem atividades que podem ser adaptadas a todas as idades, alterando-se a complexidade de regras, o tempo de duração e o espaço utilizado. Então, entra em ação a criatividade, item fundamental para um profissional de lazer, que faz com que desenvolva rapidamente uma atividade, imagine o resultado que pode obter; o como fazer para aproveitar e estimular a participação coletiva e assim elaborar uma atividade que atenda aos interesses e anseios de todos.

Algumas das características básicas necessárias ao recreador para trabalhar com cada faixa etária envolvem:

– Para a 1ª infância (que vai de 03-04 a 06 anos) , o recreador deve ser maternal, paciente e carismático.

– Para a 2ª infância (que vai de 07 a 11/12 anos), o recreador é o exemplo de comportamento.

– Para os adolescentes (entre 12 e 18 anos), o recreador deve valorizar o meio ambiente, mostrar as diferenças entre certo/erradoe não descriminar.

– Para os adultos (entre 18 e 59 anos) , o recreador deve saber ouvir reclamações, críticas e sugestões, procurando sempre resolver os problemas de uma forma discreta e rápida, buscando sempre o bem-estar do participante.

– Para os idosos (60 anos ou mais) deve evitar regras muito complexas e explicações muito extensas, assim como, fazê-los permanecer muito tempo em pé ou solicitando mudanças rápidas de posição.

Para atuar nesta área, o profissional precisa se especializar, fazer cursos e principalmente, gostar de estar junto com pessoas. Além disso é importante ser dinâmico, simpático, educado, ter boa comunicação, ser prestativo e demonstrar carinho para as pessoas que o cercam. Idosos e adultos e mais ainda as crianças que participam das atividades sob sua supervisão, sentem-se mais seguros, tranqüilos e felizes pela dedicação, atenção e cuidados diferenciados.

Importante também este profissional tomar alguns cuidados com a sua postura profissional:

– Não deve ter atitude semelhante à do participante, mantendo-se acima de qualquer suspeita.

– Deve se preocupar com sua atitude em termos de postura física (ao andar, ao sentar-se, à mesa, ao falar)

– Cuidar da vestimenta, usando trajes bem apresentáveis de acordo como momento.

– Observar sua aparência pessoal (cabelo, barba, unhas).

– Adequar sua linguagem oral, escrita ao publico e a situação, evitando excesso de gírias e palavrões, e apelidos.

– Evitar o consumo de cigarro e bebidas em qualquer quantidade e qualquer circunstância pois é uma atitude mal vista pelos participantes, principalmente os mais idosos.

– Evitar qualquer relacionamento íntimo com os participantes, principalmente quando se trabalha com crianças e adolescentes.

– Evitar o excesso de atenção a alguns grupos (mais carismáticos) deixando outros em segundo plano e lembrar que todos os participantes devem ser tratados igualmente, sem que haja distinção entre eles.

– Procurar estar sempre disponível para atender a todos os participantes.

– Evitar comentários desnecessários sobre o comportamento ou atitudes das pessoas em geral.

Sabe-se que estes conceitos se aplicam não só para um animador,mas qualquer profissão que trabalha com crianças e adolescente e principalmente com grupos heterogêneos, oriundos de culturas diferentes. Cabe ao recreador saber como lidar com cada um deles e efetivamente realizar o que se propõe da melhor maneira possível.

Compartilhar no Google Plus

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *