carnaval2015

O Carnaval brasileiro e seus ritmos

Desde sua origem, nosso país é resultado de uma miscigenação de povos, raças e culturas,  diversidade esta que se apresenta nos sotaques, nos costumes, na culinária, no folclore e como não poderia deixar de ser, nos ritmos musicais.

Como cada região do Brasil tem uma característica própria, o Carnaval, mesmo sendo unanimidade nacional como manifestação cultural, é comemorado de diversas formas  e é por esta razão que se pode afirmar que o carnaval é hoje uma festa de vários ritmos musicais significando que são muitos os carnavais no Brasil, cada qual seguindo suas tradições, seus ritmos, suas regras.

 Mas isto não foi sempre assim  pois, de acordo com historiadores, durante a época do império não havia um tipo específico de música para o carnaval, ou seja, as músicas cantadas durante este período  eram trechos de operetas, polcas, lundus e valsas.

No começo do século 20 predominavam nas ruas, as cantigas de cordões e ranchos e durante os bailes, os chorinhos, polcas, marchas, fados, toadas e canções. Alguns anos depois, com a ajuda dos teatros de revista apareceram  marchinhas, maxixes, marchas-chulas, cateretês e batucadas. Apareceu também o samba que, entre 1930 e 1960, apesar de ser absoluto nos salões e na rua, dividiu a fama com a marchinha e às vezes com um jongo ou uma batucada.

Segundo dizem, o frevo e o samba surgiram quase ao mesmo tempo, entre 1910 e 1920, sendo ambos  uma produção musical característica de um país mestiço, com influências europeias e africanas e uma boa pitada de ritmos latino-americanos. São gêneros produzidos para o carnaval e que vão se tornar cada vez mais populares. Já a marchinha nunca foi um gênero musical de massa  pois surgiu na década de 20  na classe média, nos bailes de salão e nos blocos de rua. Ganharam uma  certa força com o rádio até a década de 60, quando ocorre a ascensão do samba enredo e a consolidação dos desfiles das escolas de samba.

Vamos mencionar aqui apenas alguns dos ritmos que se tornaram mais populares e que embalam o Carnaval nas cidades mais carnavalescas do país como  Rio de Janeiro e São Paulo com os  sambas enredo,  Salvador  com o axé e o afoxé e Olinda, com o frevo e o maracatu, ritmos estes que evoluíram como os gêneros carnavalescos tipicamente urbanos que mais fazem sucesso no Brasil de hoje.

 – O afoxé

De origem iorubá, afoxé significa a fala que faz , sendo ainda considerado uma forma diversa do maracatu. É um folguedo típico baiano que acontece geralmente na época do carnaval.. Seus integrantes se reúnem nos terreiros de candomblé e depois de evocarem os orixás nos  rituais religiosos, saem pelas ruas cantando músicas em línguas africanas tocando vários instrumentos musicais para marcar o ritmo, sendo que  três instrumentos são básicos: o afoxé (ou agbê), uma cabaça coberta por uma rede formada de sementes ou contas, os atabaques e o agogô, formado por duas campânulas de metal. O grupo mais popular é o Filhos de Gandhi, cujos integrantes costumam vestir roupas nas cores azul e branca e usar um turbante na cabeça.

 – O axé

 É um ritmo  genuinamente brasileiro, onde uma mistura de frevo, forró, maracatu, reggae e outros gêneros tornou-se a marca registrada do carnaval  baiano. A palavra axé na língua iorubá, significa poder, energia, força presentes em todo universo e dentro ou fora do contexto religioso, é uma saudação utilizada para desejar votos de felicidade e boas energias.

Surgiu como ritmo musical em Salvador por volta dos anos 1980, sendo que, junto com as músicas sempre há uma coreografia, em geral muito agitadae que requer bastante pique de quem a pratica, o que garante mais ritmo, agilidade, flexibilidade e coordenação motora.  O axé conquistou o Brasil e consagrou grandes nomes no panorama musical brasileiro como Daniela Mercury, Ivete Sangalo, Margareth Menezes e outros.

 – O samba

O mais famoso dos ritmos brasileiros é origináriode diversos ritmos africanos, sendo que ao longo dos anos passou por varias evoluções , ganhando várias formas e gêneros. É tão grande sua importância que é considerado uma das principais manifestações culturais populares brasileiras, e se transformou em símbolo de identidade nacional. Os movimentos executados nessa dança bem rápida e ritmada, com passos bem marcadose muito rebolado, trabalha todo corpo.

Um dos gêneros do samba, o samba enredo é com certeza a maior expressão do ritmo que ocorre durante o carnaval, com as apresentações das escolas de samba paulistas e cariocas. Surgiu na cidade do Rio de Janeiro no ano de 1930 como uma vertente do samba para dar mais vida ao desfile das escolas de samba e na mesma década já se popularizou nas quadras das agremiações . Como o próprio termo sugere, é aquele que narra a história que a escola de samba vai apresentar na avenida, sendo que geralmente aborda temas sociais, históricos e culturais.. Hoje, esse estilo musical é uma peça fundamental de qualquer desfile e caiu no gosto de todos.

 – O frevo

A palavra frevo vem de ferver, que passou a designar efervescência, agitação, confusão ou rebuliço. O frevo surgiu em Recife no final do século 19 e é um ritmo derivado da marcha, do maxixe e da capoeira.  Dizem que durante o carnaval, eram comuns os conflitos entre os blocos de frevos, onde os capoeiristas saíam à frente dos seus blocos para por medo nos blocos rivais e proteger seu estandarte. Da união da capoeira (espécie de luta marcial brasileira) com o ritmo do frevo nasceu o passo, a dança do frevo.

Além do mais,  as sombrinhas coloridas tão comuns nas mãos dos passistas de frevo seriam uma estilização das armas utilizadas pelos capoeiristas de antigamente.  Os instrumentos mais usados no frevo são os típicos de orquestra de metais (trombones, trompetes, tubas, flautas, entre outros) e de percussão, mas outros instrumentos podem ser utilizados, principalmente nos grupos mais atuais de frevo com guitarras, teclados, etc.

 Há vários tipos de frevo sendo os mais conhecidos o frevo de rua , que é tocado por orquestra instrumental, sem cantores; o frevo canção , que é um estilo de canção com uma introdução orquestral típica dos frevos de rua e o frevo de bloco,  executado por orquestra de pau e cordas sendo chamado pelos compositores mais tradicionais de  marcha de bloco.

– O maracatu

É um ritmo com forte tradição africana, caracterizado principalmente pela batida forte, que teve origem nas congadas ,cerimônias de coroação dos reis e rainhas da nação negra. Existem dois tipos de maracatu, o de Baque Virado, também conhecido como Maracatu Nação, e o de Baque Solto, também chamado de Maracatu Rural.

O de Baque Virado tem o ritmo marcado por instrumentos de percussão e a dança se desenvolve num cortejo que conta com rei, rainha e toda uma corte simbólica; esta manifestação tem relação com o candomblé (religião de matriz africana) e com a coroação de escravos negros, antiga estratégia de dominação desse povo pelos colonizadores..

O de Baque Solto tem como  personagens principais os caboclos de lança, representados por trabalhadores rurais que com as mesmas mãos que cortam cana, lavram a terra e carregam peso, bordam suas fantasias e tocam o ritmo acelerado da música. Ele não tem vínculo religioso e se associa ao folclore pernambucano.

Onde encontrar itens para brincar o carnaval?

Na Animafest você encontra diversos itens para o Carnaval, são fantasias Adulto, Fantasias Infantis, Confete, Serpentina, maquiagens e muitos outros itens para decorar seu baile de carnaval, bloco, ou matinê, confira!

Compartilhar no Google Plus

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *