reveillon

A Origem do Ano Novo

As comemorações do  Ano Novo, também conhecidas como Réveillon  (que vem do francês réveiller ou “despertar”)  celebram o fim de um ciclo e início de outro e não pertencem a cultos específicos ou a determinado povo. Elas variam de cultura a cultura e são festejadas em diferentes datas devido à adoção de diferentes maneiras de contar o tempo  pelos mais diversos povos ao longo dos séculos . É por isso que esta comemoração mudou de data muitas vezes.

A primeira comemoração conhecida é o festival de ano novo ocorrida na Mesopotâmia por volta de 2000 a.C. A festa começava  na ocasião da lua nova indicando o equinócio da primavera . Dá para perceber então que os primeiros calendários utilizados pelo  homem orientavam-se pelas fases da lua e tinham como principal função organizar a agricultura, identificando as melhores épocas para plantar e colher, sempre  observando os ciclos da natureza.  Nesta condição, o ano novo era comemorado  em 25 de março,  data que marcava a chegada da primavera, onde as festas duravam uma semana e terminavam em  1º de Abril.

Os assírios, persas, fenícios e egípcios comemoravam o ano-novo a 23  de setembro enquanto que os gregos o celebravam entre os dias 21 ou 22 do mês de dezembro.  Os romanos foram os primeiros a estabelecer que o ano novo começava  no dia  1º de março . Foi depois trocado para 1º de janeiro em 153 a. C.

Esta contagem de tempo  predominou até 46 a.C., quando o imperador romano Julio César instituiu outro calendário, baseado na rotação do sol e não mais nas fases da lua.  Na astronomia, o conceito de ano baseia-se no período  definido como a quantidade de tempo que a Terra leva para dar um giro ao redor do sol.  O calendário  conhecido como Juliano,  fixou o ano em 365,25 dias e para resolver o problema da fração, criou-se o ano bissexto,  que a cada quatro anos,  passa a ter 366 dias.

Em 1582 a Igreja consolidou a comemoração, quando adotou o calendário gregoriano e é com base na civilização romana que contamos os dias, meses e anos tal como os conhecemos  hoje.

Independente da língua, as formas quase que universais de se desejar felicidades na passagem do ano refletem muito a importância  desta comemoração em todas as culturas que seguem o calendário romano.  Happy New Year, Bonne Année,  Feliz Año Nuevo,  FeliceAnno Nuovo,  Feliz Ano Novo, são alguns dos gritos de alegria que fazem parte dos rituais e costumes usados  para marcar a passagem do tempo e celebrar  a chegada de mais um ciclo.

 São esta variedade de rituais e tradições que acabam por unificar esta festa, tornando-a universal  em torno da  esperança  comum a todos de que o novo ciclo que se inicia é  sempre melhor do que aquele que acabou de se encerrar e que a prosperidade, saúde, amor e paz são os desejos  mais valorizados e almejados.

Compartilhar no Google Plus

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *